PRIMEIRA MULHER A CORRER EM TODOS OS CONTINENTES USARÁ PORCHE 356 QUE TROCOU PNEUS POR ESTEIRAS PARA ENCARAR A ANTÁRTIDA

Um esportivo clássico, algumas modificações e uma causa nobre. Isso é tudo o que o piloto de rali Renée Brinkerhoff precisa para se tornar a primeira mulher a correr em todos os sete continentes do planeta. Junto de sua equipe Valkyrie Racing, está preparando uma expedição para percorrer 587 km na Antártida. Para isso, o seu bom e velho Porsche 356 de 1956 recebeu algumas modificações especiais. As principais são bem evidentes, começando pelas rodas traseiras, que deram lugar a uma esteira de neve. Na dianteira, os pneus foram substituídos por um par esquis.

Também foi acrescentado à frente do para-choque uma proteção contra os pedaços de gelo que possam, por acaso, atingir o para-brisa. Esta chapa também serve como painel solar para carregar os sistemas elétricos do 356, deixando-o mais sustentável.

As modificações, principalmente a esteira e os esquis, porém, tiveram um efeito negativo. A massa do esportivo clássico aumentou, um problema para encarar a neve mais solta.

Por outro lado, Kieron Bradley, engenheiro de design da Valkyrie, garante que isso não será problema. “O esqui que criamos deve fazer de 40 a 50% do trabalho de compactar e preparar a neve, com a lâmina inferior guiando a direção” explicou o engenheiro. “Isso garante que os trilhos não subam na neve fraca”, completou.

A bordo do Porsche 356, junto de Brinkerhoff, estará o experiente navegador britânico Jason De Carteret, que já participou de mais de 50 expedições ao redor do mundo, incluindo o Polo Norte e a própria Antártida.

Somando-se ao explorador, está a experiência do piloto, que já disputou diversos ralis importantes, como Pequim-Paris, East African Safari Rally e La Carrera Panamericana. Ao final da expedição no Polo Sul, Brinkerhoff terá totalizado mais de 32 mil quilômetros rodados pelo mundo.

Ao contrário do que aparenta, o título de primeira mulher a correr em todos os continentes não vem como uma realização pessoal. O “Valkyries Gives” funciona como um braço filantrópico da sua equipe e foi criado com um viés humanitário. Brinkerhoff usa suas corridas para arrecadar dinheiro para ajudar mulheres e combater o tráfico de crianças. Até agora, o projeto já arrecadou e destinou quase meio milhão de dólares a vítimas do mundo todo.

A expedição estava marcada para começar, inicialmente, há 18 meses, mas precisou ser adiada. O adiamento acabou sendo benéfico para a realização de ajustes no 356. Se tudo correr bem, Brinkerhoff e sua equipe iniciarão o rali em 5 de dezembro deste ano, com término previsto ainda para o fim do mesmo mês. O trajeto terá como linha de chegada o acampamento Union Glacier.

“Embora estejamos extremamente orgulhosos de concluir cada rali de resistência em que participamos, nossa verdadeira missão é nos tornarmos visíveis mundialmente pelo apoio ao fim do tráfico de crianças”, explica o piloto.

Fonte: Times Live e 4R

Notícias mais recentes

UNIÃO DE PAUTAS É FORTALECIDA COM NOVO ENCONTRO DE PRESIDENTES DO SETOR AUTOMOTIVO.
19/05/2022
INCONSTITUCIONALIDADE DA VEDAÇÃO FOI A APURAÇÃO DE CRÉDITOS DE PIS/PASEP E COFINS SOBRE A AQUISIÇÃO DE INSUMOS RECICLÁVEIS.
13/05/2022
IMPACTOS SIGNIFICATIVOS DA REFORMA TRABALHISTA PARA A SOCIEDADE. POR QUE É TÃO IMPORTANTE ENTENDER A REFORMA TRABALHISTA?
11/05/2022
ENCONTRO DE PRESIDENTES DEFINE UNIÃO DE PAUTAS PARA O SETOR AUTOMOTIVO.
10/05/2022

Assine nossa newsletter

Assine nossa Newsletter e
FIQUE ATUALIZADO sobre o
Setor de Lojistas de veículos.

Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.